Sábado, 20 de Janeiro de 2007

" PERDAS E GANHOS "

 
Há horas na nossa vida em que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, vazio. Questionamos o porquê da nossa existência e nada parece fazer sentido. Concentramos a nossa atenção no lado mais cruel da vida, aquele que é implacável que afecta a todos indistintamente:
 
AS PERDAS DO SER HUMANO
 
Ao nascer, perdemos o aconchego, a segurança e a protecção do útero materno. A partir de então, estamos por nossa conta. Sozinhos.
Começamos a vida em perda e nela continuamos. Paradoxalmente, no momento em que perdemos algo, outras possibilidades nos surgem. Ao perdermos o aconchego do útero, ganhamos os braços do mundo. Ele nos acolhe: encanta-nos e assusta-nos, eleva-nos e destrói-nos.
E continuamos a perder e seguimos a ganhar.
Primeiro perdemos a inocência da infância. A confiança absoluta na mão que segura a nossa mão, a coragem de andar de bicicleta sem rodinhas porque, alguém ao nosso lado, nos assegura que não nos deixará cair…e ao perdê-la, ganhamos a capacidade de questionar. Porquê? Perguntamos a todos e sobre tudo.
Abrimos portas para um novo mundo e fechamos janelas, irremediavelmente, deixadas para trás.
Estamos crescendo.
Nascer, crescer, adolescer, amadurecer, envelhecer, morrer…
Vamos perdendo, aos poucos, alguns direitos e conquistando outros. Perdemos o direito de poder chorar bem alto, aos gritos, mesmo quando nos tiram qualquer coisa, contra a nossa vontade. Perdemos o direito de dizer tudo, absolutamente, tudo o que nos passa pela cabeça, sem medo de melindrar alguém.
Estamos crescidos e ensinam-nos que não devemos ser tão sinceros, e aprendemos…
E vamos adolescendo, ganhamos peso, ganhamos seios, ganhamos pêlos, ganhamos altura, ganhamos o mundo. Nesta fase, vivemos em grande conflito. O mundo todo parece-nos inadequado aos nossos sonhos.
Ah! Sonhos! Ganhamos muitos sonhos. Sonhamos dormindo, sonhamos acordados, sonhamos a toda a hora.
De repente, caímos na realidade.
Estamos amadurecendo todos nos admiram. Tornamo-nos equilibrados, contidos, ponderados. Perdemos a espontaneidade. Passamos a utilizar o raciocínio, a razão acima de tudo. Mas não é justamente essa a condição que nos coloca acima dos outros animais? A racionalidade, a capacidade de organizar as nossas acções de modo lógico e racionalmente planeado?
E continuamos a amadurecer, ganhamos um carro novo, um companheiro, ganhamos um diploma…e, desgraçadamente, perdemos o direito de dar gargalhadas, de andarmos descalços, de nos molharmos, propositadamente, na chuva, de lambermos os dedos e até de soltarmos um “pum”, sem querer. Mas perdemos peso.
Já não pulamos mais no pescoço de quem amamos para lhe darmos aquele beijo bem “rechonchudo”, mas apertamos as mãos a todos. Ganhamos novos amigos, ganhamos um bom salário, ganhamos reconhecimento, honrarias, títulos honoríficos e a chave da cidade. Somos respeitados.
E, assim, vamos ganhando tempo, enquanto envelhecemos.
De repente, sem darmos por isso, percebemos que ganhamos algumas rugas, algumas dores nas costas ou/e nas pernas, ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso, perdemos cabelos, ou vimo-los tornarem-se brancos.
Não damos conta que perdemos também o brilho no olhar, esquecemos os nossos sonhos, deixamos de sorrir, perdemos a esperança. Estamos envelhecendo.
Não podemos deixar para fazer alguma coisa quando estivermos morrendo.
Afinal quem nos garante que haverá mesmo um renascer, excepto aquele que se faz em vida, pelo perdão a nós mesmos, pelo compreender que as perdas fazem parte da vida, mas que, apesar delas, o sol continua brilhando, e felizmente chove, de vez em quando. Que a primavera sempre chega depois do Inverno, que necessita do Outono que o antecede.
È preciso que a gente cresça e simplesmente não envelheça, que tenhamos dores nas costas e alguém que as massageie, que tenhamos rugas e boas lembranças, que tenhamos juízo, mas saibam manter, sempre, o bom humor e um pouco de ousadia, que sejamos racionais, mas que lutemos pelos nosso sonhos, e principalmente, que não digamos apenas “eu te amo”, mas ajamos de modo que aqueles a quem amamos se sintam amados mais do sabiam ser amados.
Com mais ou menos perdas, com mais ou menos ganhos, é preciso cumprir a grande missão de viver mas ,decididamente, tomando a vida nas nossas mãos.

( retirei este texto de uma mensagem de (pps) que jé tenho há um ano ou dois, não sei bem. Utilizei-o para um trabalho, dentro da minha actividade profissional, para falar sobre a acção humana, mas achei-o tão pedagógico e , ao mesmo tempo, tão profundo que não quis deixar de o publicar aqui (isto se o meu pc me o deixar fazer).  O título é sobre perdas, que afinal são ganhos que vamos tendo , ao logo das nossas vidas, e nos fazem ver que afinal envelhecer é crescer, amadurecer, e compreendermo-nos melhor. Contra certas teorias e ideias sobre o envellhecimento, considero-o um processo dinâmico e rico. Afinal envelhecer é viver.)

A Granny

 

a granny hoje sente-se: um pouco filosófica
música: " Missing"
publicado por GRANNY Ditte às 04:54
link do post | comente | favorito
|
3 comentários:
De gegecas a 23 de Janeiro de 2007 às 18:04
Adorei o texto. Finalmente alguém que como eu diz que ." afinal envelhecer é viver".
Triste seria ficar numa etapa qq da vida e parar de envelhecer..........o quanto perderíamos .
Beijos
De Ditte a 25 de Janeiro de 2007 às 03:20
Quase que me penalizo por esta falta tempo em me dedicar mais ao blog.
Claro que, como tu, sinto um prazer enorme em envelhecer, sem olhar muito para trás, vendo o que me rodeia e dando uma espreitadela para o que se segue. Envelhecer é viver, afinal desde que nascemos que envelhecemos (ou será melhor dizer crescemos, amadurecemos?) um pouco todos os dias.
Obrigado pela tua visitinha e desculpa o atraso na resposta-
Mil felicidades e um bj da tua amiga
Granny
De Anónimo a 4 de Junho de 2008 às 23:04
mim emocionei mto ao ler essa msg...

Simplesmente adoreiii

eh maravilhosa

diga o que tem a dizer

.mais sobre a granny

.pesquisar

 

.Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts da granny

. " AS MULHERES DE CERTA ID...

. " DIA DO ANIMAL "

. "A FELICIDADE EXIGE VALEN...

. RECOMEÇAR OU NÃO... EIS A...

. " AS MULHERES CELTAS - UM...

. " LIVE EARTH"- UM CONTRIB...

. " UM POEMA DE PAIXÃO...OU...

. " PALCO "

. " GENERATION GAP" ou "ENT...

. " Riam , Riam muito"

.baú da granny

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.os tags da granny

. todas as tags

.os favoritos da granny

. RECOMEÇAR OU NÃO... EIS A...

. " MULHERES GORDINHAS "

. "O QUE APRENDI "

. " O QUE SOU "

. "O DIA DAS CRIANÇAS DESAP...

. "VIOLENCIA CONTRA AS MULH...

.links

.as fotos da granny

blogs SAPO

.subscrever feeds