Sexta-feira, 4 de Agosto de 2006

" A MINHA VIDA "

  
Eu sou o mundo a mover
Num pequeno corpo de mulher
Sou assim um coração dividido
Entre o ser e o estar do meu eu perdido.
 
Perdido entre horizontes de saudades
Entre continentes de restos de felicidades.
Eu sou assim um ser que traz em si
Mil cheiros e cores de tudo o que vivi.
 
 
Nascida num escaldante dia de verão
Neste Alentejo fui fruto de doce paixão.
Sou espiga de trigo dourada
Sou papoila no campo abandonada.
 
Trago dentro de mim o cantar
Alentejano em noite de luar.
Sou terra ávida de ser ceifada
Sou mulher à espera de ser amada.
 
Mas também sou jovem alfacinha
Que cresceu como uma colina
Entre prédios e avenidas de cansaço
Como craveiro florido num terraço.
 
Trago dentro de mim um fado,
Por um fadista perdido, cantado
Trago o céu de Lisboa em Abril
Trago a perdição de um mundo vil.
 
Sou assim uma jovem da capital
Que aí aprendeu o sentido do mal
Mas suave como a maresia do mar
Que vem de mansinho Lisboa afagar.
 
Mas sou também saudade de ser
A filha de África que a fez mulher
Sou flor de acácia em ampla avenida
Sou a savana imensa em si escondida.
 
 
Sou animal selvagem domesticado
Pelo ódio da guerra em sangue manchado
Sou negra de coragem e humilhação
Carregando ao colo a sua floração.
 
Sou tarde de tempestade tropical
Sou terra e fogo, sou um qualquer local
Perdido na arenosa e pedregosa estrada
De quem vive na ilusão de amar e ser amada.
 
Hoje sou nada
Hoje sou papoila desmaiada
Nesta planície dourada
Onde renasci amargurada.
 
Hoje sou a negra que ficou na estrada
Hoje sou a burguesinha desmascarada
Hoje sou uma mulher feita de sentidos
De cheiros, cores e visões perdidos.
 
Hoje aqui estou
Onde não sei quem sou
Procurando sem ilusão
A terra onde deixei o coração.
 
Hoje sou terra e céu
Procurando o meu eu
Algures dentro desta mulher
Diluída no espaço do esquecer.
 
Amanhã aqui estarei
Amanhã nada mais serei
Senão uma fria morada
Onde serei pó e mais nada.
 (E.C.)
 
 
a granny hoje sente-se: tudo e nada...eu
música: " MY LIFE " E " SEASONS IN THE SUN"
os tags da granny:
publicado por GRANNY Ditte às 05:46
link do post | comente | favorito
|
1 comentário:
De Nan a 12 de Agosto de 2006 às 22:36
"Sou terra ávida de ser ceifada
Sou mulher à espera de ser amada."
(...)
"Diluída no espaço do esquecer."

Gostei.
Bj.

diga o que tem a dizer

.mais sobre a granny

.pesquisar

 

.Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts da granny

. " AS MULHERES DE CERTA ID...

. " DIA DO ANIMAL "

. "A FELICIDADE EXIGE VALEN...

. RECOMEÇAR OU NÃO... EIS A...

. " AS MULHERES CELTAS - UM...

. " LIVE EARTH"- UM CONTRIB...

. " UM POEMA DE PAIXÃO...OU...

. " PALCO "

. " GENERATION GAP" ou "ENT...

. " Riam , Riam muito"

.baú da granny

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.os tags da granny

. todas as tags

.os favoritos da granny

. RECOMEÇAR OU NÃO... EIS A...

. " MULHERES GORDINHAS "

. "O QUE APRENDI "

. " O QUE SOU "

. "O DIA DAS CRIANÇAS DESAP...

. "VIOLENCIA CONTRA AS MULH...

.links

.as fotos da granny

blogs SAPO

.subscrever feeds